os filhos dos dias cinzentos. um quotidiano vazio. o mundo visto a partir de quartos fechados (virados para o mundo).
:: quartos fechados virados para o mundo | janela aberta ::


[::..os filhos dos dias cinzentos..::]
:: rui malheiro
:: alexandre calado
:: ana rocha
:: andre santos
:: catia cardoso
:: diedra
:: helena carneiro
:: iuri algarvio
:: mario frei
:: margarida pinto
:: miguel oliveira
:: paulo barata
:: petit prince
:: rita goncalves
:: ray so
[::..os quartos..::]
:: rui malheiro
:: bladin
:: ray so
:: anafora
:: astronauta
:: nocturno 76
:: o infiel
:: trinta e dois
:: elysee
:: plataforme
:: morte lenta
:: .blank
:: pluck
:: astronauta . foto@pt
:: baba yaga . foto@pt
:: ray so . foto@pt
:: individualidades . foto@pt
:: jester raven . foto@pt
[::..os sons do quarto..::]
:: cais de veludo
:: mario frei
:: f.r.e.i.
:: indivi duo
:: um zero amarelo
:: jorge palma
:: legiao urbana
:: anabela duarte
:: mao morta
:: toranja
:: superego
:: dakota suite
:: joy division
:: cat power
:: radiohead
:: spiritualized
:: echo & the bunnymen
:: nick cave
:: leonard cohen
:: jeff buckley
:: serge gainsbourg
:: nick drake
:: will oldham
:: christina rosenvinge
:: low
:: ida
:: piano magic
:: mazzy star
:: casse-pipe
:: songs: ohia
[::..virados para o mundo..::]
:: a puta da subjectividade
:: sons de ponta e mola
:: pimbodromo
:: via rapida
:: enesimo sentido
:: idioteca
:: a tasca da maria
:: freira dadaista
:: willsmithmustdie
:: bisturi
:: numb
:: this side up
:: drowning lessons
:: na-cama.com
:: cafeina
:: beliche
:: blogs em pt
:: ray loriga
:: all-music guide
:: mp3.com
:: 123 som
:: mp 2000
:: divergencias
:: sinfonias de aco
:: forum sons
:: intervencoes sonoras
:: pitchfork
:: scaruffi
:: nude as the news
:: in music we trust
:: delusions of adequacy
:: leonard's lair
:: almost cool music
:: clique music - brasil
:: manguebit
:: anti-praxe
:: revista ne0
:: diz que disse
:: foto@pt
:: fotoalt
:: terceiro anel
:: curva
:: cm portugal
:: banco de tras
:: cicciolina
:: google
[::..arquivos..::]
This page is powered by Blogger. Isn't yours?

:: domingo, janeiro 25, 2004 ::

merda de ?.

:: C�tia 00:44 [+] ::




os quartos est?o cerrados, fechados em si mesmos. at? que apare?a quem consiga pegar no puxador - com cuidado - e deixe o ar circular novamente, desprendidamente. eu estou indefinidamente no br?u. valem-me os adverbios de modo, que, felizmente, n?o -mente(m).

:: C�tia 00:04 [+] ::




:: quarta-feira, dezembro 24, 2003 ::
Have yourself a merry little Christmas!

Até para o ano!



:: C�tia 00:45 [+] ::




:: segunda-feira, dezembro 01, 2003 ::
envolto na nuvem multicolor, o meu corpo balança .
trémulo e faminto, desliza .
a chama que o consome não se apaga – apenas se apazigua .

sobre a almofada roxa os meus cabelos e os meus gritos sufocados .


|the captive heart ao fundo - brendan perry|

:: rita gonçalves 03:09 [+] ::




:: sábado, novembro 22, 2003 ::
dezoito horas às riscas azuis e brancas, dezoito horas de algodão .
dezoito horas incandescentes, dezoito horas absolutas .

vou abrir uma outra janela .


|com os 2 dollar shoes nos meus pés - rosie thomas|




:: rita gonçalves 21:24 [+] ::




:: terça-feira, outubro 28, 2003 ::
falsos faróis iluminam a nossa noite .
palavras rápidas dilaceram o nosso silêncio .
pássaros nocturnos vêm pousar nas minhas mãos – não nas tuas .


|com pásion - rodrigo leão|

:: rita gonçalves 22:27 [+] ::




:: segunda-feira, outubro 27, 2003 ::
contar outros sóis no teu jardim .
a janela do teu quarto .
o teu riso no nosso vinho .

anoiteceu . anoiteci também .



|entre ruínas - rodrigo leão|

:: rita gonçalves 22:28 [+] ::




:: domingo, outubro 19, 2003 ::
Sábado à noite...
Gotas de chuva estridentes (...) alheias a tudo... Tudo que não me é nada... Nada estará esquecido... As músicas dançam na minha mente... Prestes a entrar em ebulição depois de longo tempo em banho maria... Sete vidas, sete canções...


:: mario frei 00:58 [+] ::




:: quinta-feira, outubro 16, 2003 ::
"... Não deixava de me agradar, como preâmbulo, aquele prometedor emprego de reticências. O mais detestável, nas mulheres que já ultrapassaram os quarenta, costuma ser, durante o exórdio, o abuso dos dois pontos; e o ponto de exclamação, esse, apenas se tolera até aos vinte e cinco. Mas as reticências, em qualquer idade, são ainda o melhor: pedras soltas colocadas no leito do rio, entre as duas margens, que, por um lado, facilitam a travessia e, por outro lado, lhe dão um semblante de aventura. Só mais tarde, se for caso disso, é que verdadeiras pontes devem ser lançadas. Há que nos contentarmos, de princípio, em ir saltando de pedra em pedra. Assim passei do vestíbulo para a sala de estar..."

David Mourão-Ferreira

:: C�tia 17:15 [+] ::




:: domingo, outubro 05, 2003 ::
quem és tu de novo?

[o pós-1 de setembro de 2003]

:: C�tia 01:28 [+] ::




:: quarta-feira, setembro 17, 2003 ::
dedos desfeitos em festas .
ou mãos famintas .
incendeiam-se os pequenos corações de veludo .

regresso .



|noutra nave dos suspiros - um zero amarelo|


:: rita gonçalves 03:36 [+] ::




:: segunda-feira, agosto 18, 2003 ::
Férias; férias e desinteresse ou nada para contar.

:: C�tia 20:33 [+] ::




:: quarta-feira, julho 23, 2003 ::
os dias escorrem quentes e pegajosos .
apeteceres-me .
e dizer-to .
querer-te .
e desfazer-me em palavras adocicadas e inúteis .
faltares-me .
e consumir-te em beijos urgentes e aveludados .


|envolta na (sublime) banda sonora de silent hill - theme|






:: rita gonçalves 16:51 [+] ::




:: sábado, julho 19, 2003 ::
nas minhas mãos partem-se outros corações .
procuro-te nos estilhaços .
e eles rasgam-me a pele devagar .


|e os sons aveludados do cais ao fundo . cais de veludo - (como) amiga|




:: rita gonçalves 01:47 [+] ::




:: sexta-feira, julho 11, 2003 ::
ciliegia


o que será da noite sem espelhos?
o que fazer na noite sem desejo?

os espelhos desaparecem no desejo
na noite sobre as sementes
das lágrimas que secam a alma.

a meia lua da esperança
esconde um olho negro
que rasteja sobre o fogo
do adeus durante o sono.

unir as mãos cerradas
nas montanhas do silêncio
ao alcance da luz
que apaga a memória
da melodia enraivecida.

sopras as linhas em fuga
soltando as amarras
nas veias cortadas
pelo frio da solidão
inversa ao destino
imprópria ao amor.

as palavras doem
quando nos esquecemos delas
e apagamos a luz tensa
e o cheiro a maré cheia.

sobram flores de todas as cores
espalhadas pelo chão
apartadas pelo destino
preso a um relógio de parede
que roda ao contrário.


já não sinto
o corpo a afogar
no fado
já não sinto
o fado
a afogar o corpo
o fado . o fado .
o fado no corpo
afogado .
o fado . o fado .
o fado afogado
no corpo .
o fado . o fado .
o fado . o fado . o fado .
o fado .

:: rui 01:52 [+] ::